NOTÍCIAS & EVENTOS

26 de abril de 2021 / Por / 0 Comentário

Detectores de fumaça: iônicos e óticos, entenda a diferença

Os detectores de fumaça são itens simples, entretanto têm grande importância na prevenção a incêndios. Leia este artigo e saiba a diferença entre os modelos.

Detectores de fumaça

De acordo com o levantamento do Instituto Sprinkler Brasil, em 2020, foram registradas 1244 ocorrências de incêndios estruturais. Destes, a maioria foi no estado de Santa Catarina, que contabilizou 223 ocorrências. Na sequência vem São Paulo, com 170, e Rio Grande do Sul, com 145 casos. Os números assustam e poderiam ser menores se as edificações contassem com dispositivos importantes para essas situações, tais como sprinklers e detectores de fumaça.

Se você não sabe como funciona o chuveiro automático, visite o material Sprinkler: o guia essencial. Agora, se as dúvidas são relacionadas ao segundo item citado, continue lendo este artigo. Falaremos brevemente sobre os detectores de fumaça, sua importância e a diferença entre os modelos. Confira!

Detectores de fumaça: o que são e qual sua importância

Os detectores de fumaça são dispositivos que identificam quando há presença sinal de fumaça no ambiente desde seu estágio inicial e transferem esta informação para a central de detecção de incêndio que é responsável pela ativação dos alarmes da edificação. Estes, avisam às pessoas para que elas saibam o que está acontecendo e saiam do local. Existem, no mercado, sistemas de detecção e alarme que possibilitam a transmissão de informação de alarme de incêndio diretamente para os Corpos de Bombeiros.

Existem vários tipos de detectores, porém, de forma bem simplificada, esclarecemos que eles possuem, ao menos, um sensor que constata a fumaça, temperatura ou chamas e uma porta de comunicação (por protocolo de comunicação ou contato elétrico) que informa à central de detecção que houve um sinistro. Há detectores que possuem, além do sensor, um alarme sonoro elétrico acoplado, para viabilizar alertas locais e independentes de centrais de detecção.

Os dispositivos possuem um preço bem acessível, sendo equipamentos de prevenção bem importantes para o salvamento de muitas vidas.  Apesar disso, nem todas as residências e estabelecimentos possuem tal aparelho. Vale ressaltar que a instalação desses dispositivos deve estar em conformidade com a norma ABNT NBR 17240 (que se encontra em revisão).

Confira os tipos de detectores de fumaça, suas diferenças e como funcionam

Há diferentes tipos de detectores de fumaça no mercado, variando conforme o ambiente em que serão instalados. Os dois modelos mais comuns são os ópticos (fotoelétricos) e os iônicos. A principal diferença entre eles está em seus sensores, como você verá mais abaixo.

É importante destacar que um sistema de detecção pode utilizar um ou ambos os tipos de dispositivos interligados à central de detecção. Porém, normalmente, em cada ambiente, são instalados modelos da mesma classificação. Além disso, podem ser empregados de forma autônoma, como ocorre em outros países, como os EUA, principalmente nas residências.

Palestra: A qualidade oculta do Sprinkler certificado

O objetivo dos sistemas de detecção de fumaça é gerar um alarme por tempo suficiente para permitir que as pessoas saiam do recinto. Também, continuam propagando o sinal sonoro e luminoso até o início do combate ao fogo. Na sequência, você confere melhor sobre cada um desses dispositivos.

Detector de fumaça iônico

Seu funcionamento se baseia na detecção iônica, sendo assim, atua na presença de produtos de combustão invisíveis ou visíveis. É o segundo modelo mais comum em casas e edifícios comerciais, por ser mais sensível à fumaça. Vale lembrar que é possível existir implicações legais, nos estados, para a aplicação deste equipamento, devido ao seu componente radioativo, que falaremos melhor abaixo.

O detector de fumaça iônico possui uma fonte de radiação, o amerício-241, que emite partículas alfa. Também, contém uma câmara de ionização. Esse é o componente principal e possui duas placas separadas. Na câmara, as partículas alfa mantêm o ar eletricamente carregado. Assim, geram uma corrente elétrica permanente entre as placas.

No caso da presença de fumaça, a radiação absorve o ar ionizado, neutralizando e interrompendo o fluxo da corrente. Assim, uma placa de um circuito eletrônico identifica a queda na carga de energia e aciona o alarme.

Detector de fumaça óptico (fotoelétrico)

Esse detector se ativa quando há presença de fumaça visível. É um dispositivo simples e linear, em formato de T, com uma fonte de luz de um lado e um sensor do outro. Esses são os elementos indispensáveis para o funcionamento do dispositivo. São posicionados em ângulos de 90 graus. É chamado assim porque transforma a luz em eletricidade.

Quando não há fumaça, a luz permanece em linha reta. Porém, quando o feixe de luz é interrompido, a condução elétrica também é, o que resulta no acionamento do alarme. É o modelo mais comum, podendo ser usado em ambientes residenciais e comerciais, de pequeno e grande porte. Entretanto, diferente do primeiro modelo, é o mais indicado para locais com maior circulação de pessoas.

Conheça algumas recomendações sobre os detectores de fumaça

Diante dos detectores de fumaça disponíveis no mercado, é muito importante saber como escolher o ideal para o seu local. Cada modelo de dispositivo tem suas características e é mais eficiente dependendo de onde será instalado. Também é preciso levar em consideração o tipo de material combustível que existe em cada ambiente.

Na hora de comprar um aparelho, considere a capacidade técnica, bem como a referência do profissional que fará a instalação. Peça a ele para testar se o equipamento está funcionando corretamente. Não se esqueça de ver se o corpo de bombeiros do seu estado tem alguma norma para o uso dos detectores de fumaça.

Indica-se a manutenção regular, pois, com o passar do tempo, os detectores podem ter a eficiência reduzida. Já a limpeza deve ser realizada periodicamente, como meio de prevenção a alarmes falsos. Para isso, pode ser utilizado o aspirador de pó ou contar com a ajuda de um especialista. Mas não abra o dispositivo em hipótese alguma.

Conseguiu entender um pouco a diferença entre os diferentes tipos de detectores de fumaça? Caso tenha alguma dúvida, deixe aqui nos comentários.

eBook: Sprinklers: O guia essencial
Compartilhe:

Deixe um comentário

BNDES
ABSpk
Reliable
ABNT
FM
UL
Assine nossa Newsletter:
×