NOTÍCIAS & EVENTOS

23 de outubro de 2020 / Por / 0 Comentário

Modelos de Sprinklers: entenda a diferença entre eles

Para cada ambiente específico, há um modelo de sprinkler indicado. Por isso, é muito importante conhecer sobre todas as opções no mercado. Leia e descubra mais!

Modelos de Sprinklers: entenda a diferença entre eles

Antes de instalar um sistema de chuveiros automáticos em sua edificação, é fundamental que projetistas, instaladores e, até mesmo, clientes finais conheçam um pouco mais sobre qual o tipo correto para a necessidade da edificação. Isso porque, no mercado, há vários modelos de sprinklers, sendo que cada um é indicado para uma realidade diferente. 

Então, neste artigo, você terá noções básicas sobre a importância de escolher a categoria certa, além de conhecer as diferenças entre elas. Continue a leitura e confira! 

A importância de instalar o sprinkler certo 

Antes de falarmos especificamente sobre sprinklers, é importante dizermos que tudo parte da classificação correta do risco de incêndio no local. E isso somente o projetista pode realizar. Por exemplo: um prédio de escritórios (risco leve) não possui o mesmo perigo de incêndio de uma área de serviço de restaurantes (risco ordinário 1). Ou, ainda, de uma empresa de processamento de plásticos (risco extraordinário 2). Isso, segundo o Anexo A da Norma de projeto e instalação de sistema de sprinklers, a ABNT NBR10897:2020. 

Dito isso, é necessário entender a importância de fazer a instalação do chuveiro automático correto para cada ambiente. Indicados para lugares que possuam risco real de incêndio, os dispositivos, se tiverem qualidade certificada e forem instalados corretamente, entram em funcionamento ainda no início do incidente. Dessa forma, são ativados para liberar a água e controlar ou extinguir o foco de fogo. 

Cada sprinkler é destinado para um local específico, segundo a classificação de risco e as características do ambiente preservado. Por isso, é necessária a avaliação de um profissional qualificado em sistemas de proteção de chuveiros automáticos. Assim, será possível definir qual o tipo de sprinkler mais indicado para cumprir seu papel de prevenção a acidentes maiores. 

Os chuveiros automáticos, também, atuam antes que os bombeiros cheguem ao local do incêndio. Garantindo, assim, a segurança do empreendimento e das pessoas que por ali circulam. Além disso, impedem ou minimizam a interrupção das atividades produtivas dos locais. 

Conheça as diferenças entre os modelos de sprinklers 

Como mencionamos, existem diversos tipos de chuveiros automáticos no mercado brasileiro e mundial. Para garantir a sua eficiência, é fundamental que o sprinkler seja certificado/listado por empresas de renome no mercado de segurança contra incêndio. Sendo que as principais são: FM, ULbr e ABNT. 

eBook: Sprinklers: O guia essencial

No que diz respeito ao projeto e instalação, é importante ressaltar que no Brasil, cada estado possui uma regulamentação de acordo com o Corpo de Bombeiros local. Além disso, os modelos de sprinklers são diferenciados conforme está previsto na Norma Técnica Brasileira, NBR ABNT10897:2020. 

Confira, agora, mais detalhes sobre as classificações dos chuveiros automáticos. 

De acordo com elementos termossensíveis 

A ativação de um elemento termossensível, quando um ambiente atinge certa temperatura, é o princípio de funcionamento de um chuveiro automáticoAssim, há faixas de temperaturas definidas pela norma já citada. Também, valores de referências comerciais foram adotados pelo mercado. Sendo que os mais convencionais no Brasil são:  68°C, 79°C, 93°C e 141°C.  

Dessa forma, em nosso país há dois tipos de elementos termossensíveis que classificam os chuveiros: 

  • Ampola de vidro: sob ação do calor do ambiente, opera pela ruptura do bulbo de vidro em função da pressão resultante da expansão do fluido que há em seu interior. 
  • Liga fusível: atua pela fusão de um de seus componentes por influência do seu aquecimento. 

Vale lembrar que, segundo o requisito 3.2.1 da Norma NBR ABNT16400:2018, sprinklers do tipo ampola de vidro e liga fusível “têm desempenho equivalente […] e podem ser usados indistintamente”. 

Segundo a distribuição de água ou cobertura 

Esses modelos de sprinklers estão relacionados à área que conseguirão cobrir e proteger. Assim, há basicamente duas classificações para esse tipo. São elas: 

  • Cobertura Padrão: projetados para cobrir áreas que podem variar entre 8,4 e 20,9 m² para chuveiros em pé e pendentes, e 7,4 a 18,2 m² para chuveiros laterais. 
  • Cobertura estendida: desenvolvidos para proteger regiões maiores, variando entre 13,7 e 37,2 m² para chuveiros em pé e pendentes. 

NOTA: para mais detalhes sobre áreas de cobertura padrão e estendida, consulte as tabelas 10 e 11 da Norma ABNT NBR10897:2020. 

Ainda, há os sprinklers tipo spray, em que o defletor direciona a água para baixo e lança uma quantidade mínima de líquido para o teto. Esse modelo pode ser de cobertura-padrão ou estendida. 

Vale ressaltar que no Brasil são fabricados apenas modelos de cobertura padrão e do tipo spray. Todos os de cobertura estendida são importados.  

Conforme a velocidade de operação 

Nessa classificação, temos dois modelos distintos. Os de resposta rápida, que são aqueles que possuem o bulbo de vidro com 3 mm de diâmetro. Além disso, seu índice de tempo de resposta (ITR) é menor ou igual a 50 (ms)½. De modo geral, esse modelo é acionado sempre alguns segundos antes do de resposta padrão. Este último é o chuveiro automático de vidro com 5 mm de diâmetro e com o ITR maior ou igual a 80 (ms) ½. 

É importante dizer que o ITR é um índice que se alcança somente em ensaios laboratoriais. Também é necessário que se entenda que cobertura padrão não deve ser confundida com resposta padrão. O primeiro está relacionado à área de proteção e o segundo, ao tempo de ativação do sprinkler. 

De acordo com as condições especiais de uso 

Já nessa categoria, temos três modelos de sprinklers. Os resistentes à corrosão, que são fabricados com revestimentos especiais para serem aplicados em atmosferas mais agressivas. Também existe o chuveiro seco, que é fixado a um niple de extensão para permitir que a água entre no seu interior, caso seja ativado. Ainda, há os chuveiros decorativos, que são pintados ou revestidos com uma camada de tinta ou outros recursos, para ornar com os ambientes. 

Conforme a orientação da instalação 

Nesse caso, os chuveiros automáticos são classificados da seguinte maneira.  

  • Flush: é um modelo decorativo, mas, nesse caso, ele é montado acima do plano inferior do teto. Quando ativado, o defletor se prolonga para baixo do plano inferior do teto.  
  • Embutido: é do tipo decorativo com o corpo, ou parte dele, montado dentro de um invólucro embutido (com exceção da rosca). 
  • Em pé: projetados para serem instalados em uma posição em que o jato d’água seja direcionado para cima, contra o defletor. 
  • Lateral: desenvolvido para ser instalado em paredes e descarregar água na direção oposto à instalação. 
  • Oculto: é embutido e coberto por uma placa que liberada antes do chuveiro entrar em ação.  
  • Pendente: criados para que sua instalação direcione o jato de água para baixo. 

Segundo as características de desempenho e projeto 

Nessa categoria, há dois modelos de sprinklers. O primeiro é o de controle para aplicações específicas (CCAE). Ele atua no modo de controle e tem como característica produzir gotas grandes de água. É indicado para áreas de incêndios de alta intensidade. 

Também há o de resposta e supressão rápidas (ESFR), cuja característica é atuar no modo de extinção, com resposta rápida e distribuir água em grande quantidade e de forma especificada, sobre uma área limitada. Proporcionando, assim, rápido fim do fogo. 

De modo geral, as duas classificações acima são para casos específicos. A grande maioria dos sprinklers disponíveis no mercado são classificados como CMDA (Control mode density area). Para aprofundar e esclarecer definitivamente o assunto, sugerimos que você assista o vídeo que trata sobre as Classificações de sprinklers: quais os tipos existentes? (https://www.youtube.com/watch?v=bojgUnKe6pY&t=526s), disponível no canal da Skop no YouTube. 

Agora você já sabe a importância de conhecer mais sobre os modelos de sprinklers e, também, entendeu um pouco sobre como eles atuam. Para conhecer as especificações mais detalhadas do tipo do seu interesse, acesse o link. E para ficar por dentro do combate e prevenção a incêndios, continue acompanhando nosso site.

eBook: Sprinklers: O guia essencial

Compartilhe:

Deixe um comentário

BNDES
ABSpk
Reliable
ABNT
FM
UL
Assine nossa Newsletter:
×