NOTÍCIAS & EVENTOS

18 de junho de 2020 / Por / 2 Comentários

Como instalar corretamente um sprinkler: procedimentos para reduzir falhas e riscos

Conforme prometido, daremos continuidade ao assunto do artigo onde falamos sobre os riscos aos quais o sprinkler certificado é submetido ao sair da fábrica. Para isso, aprofundaremos um pouco mais as questões ligadas ao procedimento de instalação. Vamos lá?!

Como instalar corretamente um sprinkler: procedimentos para reduzir falhas e riscos

INTRODUÇÃO 

Conforme prometido, daremos continuidade ao assunto do artigo onde falamos sobre os riscos aos quais o sprinkler certificado é submetido ao sair da fábrica. Para isso, aprofundaremos um pouco mais as questões ligadas ao procedimento de instalação. Vamos lá?! 

DEFININDO O PROBLEMA 

Em resumo, o artigo anterior concluiu que mesmo com todo controle de qualidade na fabricação e a aprovação nos ensaios de certificação, que atribuem ao sprinkler resistência e faz com que o mesmo saia da fábrica em plena condição de funcionamento, é importantíssimo que nenhuma etapa posterior à saída da fábrica seja negligenciada, especialmente a instalação. Esses critérios, associados à boa conservação, garantirão o funcionamento do sprinkler, independentemente do tempo de instalação. 

Ressaltamos então, neste artigo, a importância do procedimento de instalação do sprinkler, pois é justamente nessa etapa que ocorrem problemas que podem tornar o sprinkler inoperante, sujeito ao vazamento e a ativações indesejadas. 

PROBLEMAS NO PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DO SPRINKLER 

Entre os principais problemas identificados no procedimento de instalação de sprinklers, destacamos:

1. INSTALAÇÃO COM FERRAMENTA IMPRÓPRIA – A instalação com ferramentas imprópria, como: chave de grifo, chave inglesa, chave de boca, alicate bomba d’água, alicate de pressão e outras, é uma ocorrência bastante frequente. Um único fabricante pode possuir dezenas de modelos de sprinklers em sua linha de fabricação e, em alguns casos, vários tipos de chaves de instalação que se aplicam exclusivamente a um determinado modelo. Vejamos alguns exemplos do fabricante Reliable: 

instalacao-com-ferramenta-impropria-2

Os mais de duzentos modelos de sprinklers fabricados pela Skop, divididos em três famílias (RTR, JCR e B-11), utilizam dois modelos de chaves de instalação, sendo um para os sprinklers de ½” e outro para os de ¾”. 

eBook: Sprinklers: O guia essencial

 

Chave Skop 1

NOTA: Cabe lembrar que os tipos de chaves e alicates exibidos abaixo são muito úteis para vários tipos de instalações, porém não são indicados para a instalação de sprinklers, especialmente os que possuem encaixes especiais que só são atendidos por uma chave de instalação exclusiva. 

Chaves proibidas

2. APLICAÇÃO DE FORÇA EXCESSIVA – Ocorre quando existe a aplicação de força de torque excessiva no próprio sextavado de instalação ou até mesmo em locais indevidos, tais como: braços e obturador. O excesso de torque também pode ocorrer através da utilização de canos de prolongamento do braço da chave de instalação. A danificação do sprinkler em função da aplicação de força excessiva no ato da instalação é bastante frequente. O único ponto de aplicação de força, durante a instalação, é o sextavado e em hipótese alguma se deve aplicar força em outros pontos. 

Partes Sprinkler - Aplicação Força

CASOS REAIS DE NEGLIGÊNCIA NO ATO DA INSTALAÇÃO DO SPRINKLER 

Podemos observar abaixo casos reais de aplicação excessiva de força, bem como a aplicação de força em locais impróprios. 

NO OBTURADOR
Obturador danificado

NO SEXTAVADO POR EXCESSO DE FORÇA
Marcas no sextavado

NA LUVA DE CONEXÃO DO SPRNKLER TIPO SECO (DRY) – APLICAÇÃO DE FORÇA EM LOCAL IMPRÓPRIO
Marcas na luva

FORMA CORRETA DE INSTALAÇÃO DO MODELO DO TIPO SECO (DRY)
Forma correta inst Dry

NOTA: Caso ocorra alguma das situações extremas descritas acima, recomendamos que seja considerado o descarte do sprinkler, pois tais situações abrirão precedente para problemas, muitas vezes, imperceptíveis ao olho nu, especialmente no bulbo de vidro e no sistema de vedação do sprinkler. O descarte, nesses casos, visa eliminar possíveis ocorrências futuras, que são indesejáveis e imprevisíveis. Se compararmos o custo de instalação de um sprinkler novo com o risco de instalar um equipamento comprometido por negligência, chegaremos à conclusão que não vale a pena arriscar.

SPRINKLER: PROCEDIMENTOS E CUIDADOS DE INSTALAÇÃO

O sprinkler é um dispositivo relativamente simples de se instalar, porém, por não se seguir o procedimento correto, pode sofrer eventuais danos. Listamos de forma simplificada o passo a passo de preparação e instalação do dispositivo. São eles:

PASSO 1 – Garantir que os fios de rosca do sprinkler estão livres de detritos; 

PASSO 2 – Aplicar cinco ou seis voltas de fita teflon no sentido horário, levemente apertados sobre os fios de rosca. Ao final da aplicação da fita teflon é importante que se consiga observar os relevos dos fios rosca sob o teflon; 

PASSO 3 – Instalar o sprinkler e apertar manualmente até o limite possível;  

PASSO 4 – Com o auxílio da chave de instalação adequada, usar força moderada e apertar o sprinkler por mais uma volta (360°) ou até topar com o limite da conexão, o que ocorrer primeiro.

Observações: 

  1. Cuidar para que não fiquem sobras de fita teflon sobre o sextavado e, muito menos, sobre a entrada do orifício do sprinkler; 
  2. Nunca aplicar a fita de teflon no sentido anti-horário para evitar enrugamento do mesmo e inoperância da vedação. 
  3. É possível instalar sprinkler com padrão de rosca NPT em conexões padrão BSP de ½” e ¾”, porém é fundamental que sejam observadas as instruções de instalação apresentadas neste texto e no vídeo abaixo: quantidade de teflon, sentido de colocação do teflon e aplicação de força suficiente no ato da instalação. Desta forma, a integridade do sprinkler será mantida e a estanqueidade será garantida. 
  4. No caso de sprinkler com posição de instalação em pé (up right), é necessário conciliar estas orientações com a necessidade de que os braços do sprinkler fiquem paralelos ao ramal (ANBT NBR 10897:2014 – requisito 7.1.4).  

Para ajudar um pouco mais, preparamos um vídeo tutorial que demonstrará o procedimento. 

Em caso de dúvidas entre em contato com a Skop através do email: suporte@skop.com.br 

eBook: Sprinklers: O guia essencial

Compartilhe:

2 Comentários

Deixe um comentário

BNDES
ABSpk
Reliable
ABNT
FM
UL
Assine nossa Newsletter:
×