NOTÍCIAS & EVENTOS

29 de maio de 2019 / Por / 2 Comentários

Saiba identificar o extintor correto para cada tipo de incêndio

Abaixo, você encontrará os tipos mais comuns de extintores e quando cada um deve ser utilizado em casos de foco de incêndio! Acompanhe:

Saiba identificar o extintor correto para cada tipo de incêndio

O extintor é o equipamento utilizado como forma de combate imediato a focos de incêndio. Ele é o primeiro auxílio que os usuários de uma edificação podem ter acesso em uma emergência e, por isso, é essencial que saibam utilizá-lo corretamente.

Vale lembrar que o extintor foi desenhado para combater pequenos focos de incêndio. Sendo assim, ele não deve ser considerado como substituto de sistemas de proteção mais complexos, como chuveiros automáticos, mas sim como proteção adicional.

Para garantir mais segurança, é fundamental que os usuários de um edifício entendam a diferença entre os tipos de extintores e saibam como utilizá-los em situações de incêndio.

Abaixo, você encontrará os tipos mais comuns de extintores e quando cada um deve ser utilizado em casos de foco de incêndio! Acompanhe:

Tipos de incêndio por classe

Os extintores são classificados de acordo com o agente que utilizam para extinguir o fogo. Cada agente é indicado para um tipo de incêndio, separados em classes, conforme abaixo:

  • Classe A: incêndios ocorridos em materiais fibrosos ou combustíveis sólidos. Esse tipo de combustível deixa resíduos (cinzas ou brasas). Exemplos: madeira, papel, borracha, cereais, tecidos etc.
  • Classe B: incêndios ocorridos em combustíveis líquidos ou gases combustíveis. A queima é feita através da sua superfície e não deixa resíduos. Exemplos: GLP, óleos, gasolina, éter, butano etc.;
  • Classe C: incêndios ocorridos em materiais energizados. Oferecem alto risco à vida na ação de combate, pela presença de eletricidade. Exemplos: transformadores, motores, interruptores etc.;
  • Classe D: incêndios ocorridos em metais pirofóricos. Irradiam uma forte luz e são muito difíceis de serem apagados. Exemplos: rodas de magnésio, potássio, alumínio em pó, titânio, sódio etc.;
  • Classe K: os incêndios em banha, gordura e óleos voltados ao cozimento de alimentos. Exemplos: incêndios em cozinhas quando a banha, a gordura e os óleos são aquecidos. Jamais deve-se tentar combater com água. O método mais indicado de combater o incêndio nessa classe é através do abafamento.

Tipos de extintores por agente

1. Extintores de água

Este extintor usa a água expelida por meio de um gás para combater o foco de incêndio. Eles podem ser divididos em duas categorias, de acordo com a forma de operação:

  • Água pressurizada: possui apenas um cilindro para a água e o gás expelente. Sua carga é mantida sob pressão permanente;
  • Água-gás: possui uma câmara, um recipiente de água e um cilindro de alta pressão, contendo o gás expelente. A pressurização só se dá no momento da operação. Os extintores de água são aparelhos destinados a extinguir pequenos focos de incêndio Classe “A”, como em madeiras, papéis e tecidos.

2. Extintor de gás carbônico

O gás carbônico é um gás inerte, sem cheiro e sem cor. Devido à sua capacidade condutora ser praticamente nula, o CO2 é muito usado em incêndios de Classe “C”. A sua forma de agir é por abafamento, podendo também ser utilizado nas classes A (somente no seu início) e B (em ambientes fechados).

3. Extintor de pó químico

Os extintores com pó químico utilizam os agentes extintores de bicarbonato de sódio (o mais comum) ou de bicarbonato de potássio. Especialmente indicado para princípios de incêndio das Classes B e C.

Também pode ser pressurizado, utilizando como propelente o nitrogênio, um gás seco e incombustível que pode ser acondicionado com o pó no mesmo cilindro.  Outro propelente pode ser o gás carbônico (CO2), que, por ser um gás úmido, vem armazenado em uma ampola de aço ligada ao extintor.

Há também o extintor de pó químico especial, que age por abafamento e é indicado para incêndios da Classe D e K.

4. Extintor de pó multiuso (ABC)

Os extintores com pó químico multiuso são à base de Monofosfato de Amônia siliconizado. É indicado para princípios de incêndio das Classes A, B e C.

É importante lembrar que o uso dos extintores não elimina a necessidade de ter sistemas de detecção de incêndio automáticos e acionar o Corpo de Bombeiros, mesmo quando parecer que o fogo pode ser dominado rapidamente.

Gostou de aprender sobre os tipos de extintores? Ficou com alguma dúvida? Comente abaixo que estamos prontos a ajudá-lo!

 

eBook: Sprinklers: O guia essencial
Compartilhe: 0

2 Comentários

Deixe um comentário

BNDES
Reliable
ABNT
ABSpk
FM
UL
Assine nossa Newsletter: