NOTÍCIAS & EVENTOS

15 de maio de 2019 / Por / 2 Comentários

Como aplicar um plano de emergência em caso de incêndio em uma escola

Confira a seguir o que não pode faltar em um plano de emergência em caso de incêndio em uma escola.

Como aplicar um plano de emergência em caso de incêndio em uma escola

As escolas devem estar preparadas para qualquer tipo de emergência e, assim, preparar seus alunos também. Enquanto ninguém espera que algo de ruim aconteça, é sempre melhor estar pronto para isso. É o que nos mostrou o caso do dormitório no CT do Flamengo, em janeiro deste ano.

Independentemente da existência de uma lei, a segurança das crianças deve estar em primeiro lugar. O bom senso nos orienta que as escolas deveriam obrigar-se a ter um plano de prevenção e de evacuação de incêndio para o caso de haver um incêndio no local.

Um plano de emergência tem como objetivo preparar a organização em caso de uma ocorrência e minimizar os danos desta eventualidade.

Se trata de uma medida fundamental, pois evita a perda de vidas humanas ou bens, aumenta da capacidade de resposta da escola e previne traumas resultantes de uma situação de emergência.

Confira a seguir o que não pode faltar em um plano de emergência em caso de incêndio em uma escola:

A importância do plano de emergência

Além da questão da segurança, o plano de emergência caminha para ser uma medida legal, obrigatória para todas as escolas. Se sua instituição ainda não possui seu próprio plano, vale ficar atento às normas e ao risco real que envolve a vida dos alunos, a proteção do patrimônio da instituição de ensino e a continuidade das atividades da escola.

O projeto de lei PL-5283/2013 segue em processo de aprovação. O objetivo é tornar obrigatório o plano de evacuação em escolas para situações de risco, como incêndios.

Mas enquanto o projeto não é aprovado, as escolas podem se prevenir e elaborar seus planos. Nessa hora, algumas medidas básicas de prevenção passiva precisam ser aplicadas, incluindo:

  • Luzes de emergência: desligue a chave geral de energia ou acione o botão de teste das luminárias para verificar se as luzes estão acendendo;
  • Hidrantes: cheque se as mangueiras estão na caixa e troque vidros e trincos que estejam quebrados;
  • Sinalização: faça uma vistoria a cada seis meses na sinalização contra incêndios e substitua os adesivos e as placas danificadas;
  • Chuveiros automáticos: a instalação de sistemas de chuveiros automáticos, ou sprinklers, evita a propagação rápida do fogo em caso de incêndio. É importante que os sprinklers sejam confiáveis para garantir seu acionamento no momento certo. Essa pode ser a diferença entre conseguir evacuar o prédio da escola com ou sem vítimas;
  • Extintores: faça a recarga uma vez ao ano.

O que fazer ao aplicar o plano de emergência

Um plano de emergência bem elaborado e aplicado é a diferença entre garantir ou não a segurança dos alunos. Para isso, é preciso considerar os seguintes pontos:

Rotas de Incêndio

Quando ocorre um incêndio, ninguém sabe exatamente onde será o início do fogo e quais saídas poderão ser bloqueadas pelo incidente. É importante garantir que hajam, pelo menos, duas saídas em cada sala de aula. Os administradores devem criar um plano de evacuação de incêndio que exiba claramente duas maneiras de sair de cada cômodo no caso de um incêndio.

Por exemplo, uma sala de aula comum pode ter saídas pela porta da sala de aula e ter uma saída em uma porta extra ou considerar as janelas. Coloque informativos contendo os planos com as possíveis rotas de fuga em caso de emergência em cada sala de aula e nos corredores da escola.

Ponto de encontro

É importante que cada turma tenha um local de encontro para que os professores possam garantir que todos os alunos tenham saído com segurança. Designe uma área separada para cada classe.

Os professores devem instruir os alunos sobre onde devem se encontrar com o restante da turma, caso sejam separados dela no momento da evacuação. Crie um sistema de cartões com os professores para determinar rapidamente se todos conseguiram sair do prédio. Instrua os professores a segurar o cartão verde se toda a classe for contabilizada. Um cartão vermelho deve ser retido se alguém estiver faltando.

Alarmes

Certifique-se de que os professores saibam como soar o alarme de incêndio. Algumas escolas têm sistemas que emitem um tom diferente ou uma série de tons para cada tipo diferente de emergência. Os professores devem ser treinados em quais tons acompanham as emergências.

Eles devem, então, garantir que seus alunos entendam as diferenças também. Pode ajudar a distribuir um cartão laminado que detalha o que cada tom ou série de tons significa para os alunos.

Prática

Ter um bom plano de evacuação para a escola em caso de incêndio não beneficia ninguém se não for treinado e praticado. Realize exercícios de incêndio aleatoriamente ao longo do ano letivo. Evite dizer aos professores ou alunos quando esperar que uma simulação aconteça.

A prática ajudará a envolver o procedimento na cabeça das crianças e a prepará-las para ficarem calmas em uma emergência. Escolas primárias devem realizar exercícios mensais, enquanto as escolas de ensino médio devem ter exercícios trimestrais.

As escolas devem ser um refúgio seguro de educação e aprendizado para mentes jovens. Infelizmente, os desastres acontecem e é importante que sua escola tenha um plano de emergência no lugar.

Pronto para colocar o seu em prática? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco que estamos prontos para ajudá-lo!

eBook: Sprinklers: O guia essencial
Compartilhe:

2 Comentários

  • Nivaldo João de Assis disse:

    Bom dia Prezados.

    ótimo artigo, infelizmente nossa cultura esta atrasada, no que critério de prevenção. Mias vamos em frente, mudar esta estatística. Grande abraço, e sucesso a todos.

  • Jorge Gomes disse:

    Tenho contato permanente com as escolas privadas e públicas e, posso garantir que elas não estão nem querem mudanças, mesmo na área preventiva. Primeiros Socorros que agora é Lei em São Paulo, os professores e trabalhadores das escolas estão sendo treinados por entendidos que não ensinam o que é urgência e emergência e instruem para chamar o SAMU ou Corpo de Bombeiros. Imaginem vocês no caso de emergência esperando o auxílio externo para uma criança. Lembro que Leis no Brasil são para serem burladas. E olha que temos ótimas Leis e em abundância. Se não houver algo impactador ou mais agressivo, não adianta. A escola que foi invadida pela porta aberta, sem nenhum controle confirma o que digo.

Deixe um comentário

BNDES
Reliable
ABNT
ABSpk
FM
UL
Assine nossa Newsletter: