NOTÍCIAS & EVENTOS

15 de março de 2019 / Por / 0 Comentário

Principais medidas de proteção passiva contra incêndio em edificações

O objetivo principal da proteção passiva é ganhar tempo para que o local consumido pelas chamas seja evacuado e a ação do Corpo de Bombeiros iniciada.

Principais medidas de proteção passiva contra incêndio em edificações

O objetivo principal da proteção passiva é ganhar tempo para que o local consumido pelas chamas seja evacuado e a ação do Corpo de Bombeiros iniciada. Em suma, a PPCI busca:

  • Auxiliar as operações de combate e salvamento
  • Reduzir ao máximo a propagação do incêndio
  • Proteger a vida dos ocupantes
  • Proteger o patrimônio

Mas quais são as medidas de proteção passiva contra incêndios? Vamos dar uma olhada nelas abaixo:

Compartimentação

A compartimentação é a ação de confinar o foco de incêndio para que não se propague pela edificação. De acordo com a NFPA, National Fire Protection Association, a compartimentação tem como objetivo:

  • Isolamento: separar o ambiente com elevado perigo de incêndio dos ambientes adjacentes;
  • Estanqueidade: reduzir o risco de vida dos ocupantes de áreas próximas ao foco do incêndio.

A compartimentação é obtida por elementos como entrepisos corta-fogo, enclausuramento de escadas por meio de parede corta-fogo, enclausuramento de elevadores, portas pára-chama, selos e registros corta-fogo (dampers), vedadores, elementos construtivos de separação vertical entre pavimentos consecutivos e selagem perimetral corta-fogo.

Saídas de emergência

As saídas de emergência são parte do plano de evacuação da edificação e permitem que o local seja esvaziado em tempo hábil antes que o incêndio tome grandes proporções.

A discussão sobre a necessidade das saídas de emergência ganhou muita repercussão depois da tragédia na Boate Kiss, em 2013, com especialistas afirmando que o número de vítimas poderia ter sido reduzido caso o local respeitasse as diretrizes sobre o assunto.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o local deve oferecer caminho contínuo, devidamente protegido, a ser percorrido pelo usuário em caso de incêndio, até que possa atingir a via pública ou espaço aberto. O número de saídas, sua localização e distância a percorrer são definidos por Normas técnicas específicas e instrução dos Corpos de Bombeiros, de acordo com as características físicas e uso de cada edificação.

eBook: Sprinklers: O guia essencial

Revestimento estrutural

O revestimento diz respeito aos produtos resistentes à ação do fogo para preservar a integridade estrutural do edifício, especialmente em construções metálicas. Eles incluem:

  • Pinturas Intumescentes: quando expostas a temperaturas altas intumesce, ou seja, se expande, criando uma barreira contra o fogo;
  • Placas e Mantas pré-fabricadas: podem ser compostas de gesso, lã de rocha ou fibra cerâmica. São recomendadas para locais de difícil acesso, que estão em uso e não podem ser desocupados;
  • Revestimentos projetados: projetados especificamente para cada tipo de aplicação, podendo apresentar densidades e resistências mecânicas diferentes de acordo com o uso.

A proteção ativa e passiva contra incêndios são complementares em uma edificação. Enquanto a passiva compartimenta os ambientes para que o fogo não se propague, a ativa controla ou extingue o incêndio na sua origem.

Aproveite e veja também nosso post sobre a proteção ativa contra incêndios!

eBook: Sprinklers: O guia essencial
Compartilhe:

Deixe um comentário

BNDES
Reliable
ABNT
ABSpk
FM
UL
Assine nossa Newsletter: