NOTÍCIAS & EVENTOS

5 de abril de 2018 / Por / 0 Comentário

Como especificar um sprinkler resistente à corrosão?

Quer descobrir como especificar um sprinkler resistente à corrosão? É importantíssimo que a aplicação do ambiente a ser protegido pelo sistema de sprinklers, seja devidamente avaliada, ainda na fase de projeto, para que se identifique a presença, ou não, de substâncias corrosivas.

Como especificar um sprinkler resistente à corrosão?

1. Introdução

Além das oito características técnicas básicas do sprinkler, que abordamos em artigo anterior, existe uma característica que, entre outras que abordaremos futuramente, gostaríamos de ressaltar já neste artigo: a resistência à corrosão.

A atual Norma Técnica brasileira, de especificação e métodos de ensaio de sprinklers, a NBR ABNT16400:2015, conhecida também como Norma de produto, prevê que todos os sprinklers sejam submetidos a ensaios de resistência à corrosão, diferenciando os mesmos em duas classes: sprinklers destinados a atmosferas normais (10 dias em névoa salina) e sprinklers destinados a atmosferas corrosivas (30 dias em névoa salina). É justamente sobre esta última classificação que falaremos brevemente neste artigo.

2. Desenvolvimento

É importante entender que pelo simples fato de existir oxigênio na composição do ar presente nos ambientes, automaticamente existirá ali um processo natural conhecido na química como oxidação ou mais popularmente conhecido como enferrujamento. Apesar desta característica, a maioria dos ambientes são classificados como de “atmosfera normal”. Nestes ambientes poderão ser utilizados sprinklers certificados¹ , que não possuam revestimentos especiais, mas que são construídos com liga de latão suficientemente resistente ao processo de oxidação natural.

Existem ainda ambientes mais agressivos classificados como atmosfera corrosiva. Nestes casos o sprinkler precisa, obrigatoriamente, ter características especiais de resistência à corrosão. Para estas aplicações será necessária a especificação de sprinklers que possuam revestimentos especiais, entre eles o PTFE (politetrafluoretileno), ou ainda sejam construídos em aço inoxidável.

Podemos exemplificar como “atmosferas normais”, os ambientes dos seguintes locais: escritórios em edifícios comerciais, shoppings centers, estacionamentos de edifícios residenciais e comerciais, casa de máquinas das edificações citadas anteriormente, entre outros. Ainda podemos incluir neste grupo, instalações em regiões litorâneas, sujeitas à maresia. Para a classificação de “atmosferas corrosivas”, podemos citar os seguintes ambientes: indústrias (dependendo das substâncias manipuladas), grandes embarcações para aplicações diversas (navios sonda, cargueiros, …) e plataformas marítimas entre outros. A norma de produto (sprinkler), a ABNT NBR16400:2015, exige que o teste de resistência à corrosão seja realizado, justamente para garantir a instalação do sprinkler em ambientes listados nas classificações de risco do ANEXO A, da norma de projeto (sistemas de sprinklers), ABNT NBR10897:2014.

3. Como especificar corretamente?

Além das oito características básicas (ver o link no início deste artigo) é importantíssimo que a aplicação do ambiente, a ser protegido pelo sistema de sprinklers, seja devidamente avaliada, ainda na fase de projeto, para que se identifique a presença, ou não, de substâncias corrosivas. Somente com esta avaliação é que se poderá definir corretamente se o modelo de sprinkler, a ser aplicado, deverá possuir proteções especiais contra a corrosão.

Apenas a título de curiosidade, vale lembrar que a maioria absoluta dos modelos de sprinklers resistentes à corrosão utiliza o bulbo de vidro como elemento termossensível.

4. Conclusão

O fato de um sprinkler certificado ser construído em liga metálica adequada e ser obrigado, por Norma, a passar por ensaios de resistência à corrosão, não quer dizer que ele possa ser instalado em qualquer ambiente classificado como agressivo ou corrosivo². Para estes casos, além da liga metálica correta, é necessário identificar, em projeto, quão agressivo é o ambiente a ser protegido e, a partir desta constatação, definir se o sprinkler necessitará de revestimento especial ou ainda, seja construído diretamente em aço inoxidável. Somente desta forma será possível especificar corretamente o bico de sprinkler para que o mesmo seja efetivamente resistente, de tal forma que sua funcionalidade não seja prejudicada no momento da necessidade.

Notas:

¹ Os sprinklers fabricados pela Skop atendem aos requisitos da Norma Técnica brasileira, para instalação em ambientes classificados como atmosfera normal. Lembrando que estão incluídas nesta classificação as regiões litorâneas;

² A Skop fornece sprinklers certificados, da marca Reliable, próprios para a instalação em ambientes classificados como atmosfera corrosiva.

Exemplos de modelos de sprinklers fornecidos pela Skop, destinados à atmosfera corrosiva:

 

Autor: Equipe Suporte Skop

eBook: Sprinklers: O guia essencial
Compartilhe: 0

Deixe um comentário

BNDES
Reliable
ABNT
ABSpk
FM
UL
Assine nossa Newsletter: