NOTÍCIAS & EVENTOS

30 de maio de 2017 / Por / 0 Comentário

Entenda as cores dos bulbos dos sprinklers e sua relação com a temperatura

Os bulbos de vidro dos sprinklers se rompem quando atingem uma determinada temperatura. O tempo que o bulbo leva para se romper e ativar o sistema de proteção contra incêndio,…

Entenda as cores dos bulbos dos sprinklers e sua relação com a temperatura

Os bulbos de vidro dos sprinklers se rompem quando atingem uma determinada temperatura. O tempo que o bulbo leva para se romper e ativar o sistema de proteção contra incêndio, depende do tipo de sprinkler. Para saber mais sobre como eles são ativados, clique aqui

Definição

Tecnicamente o bulbo de vidro (ampola ou ainda elemento termossensível) é definido como: “Componente destinado a liberar o obturador pelo efeito de elevação de temperatura, quando atingida a temperatura (nominal) de operação.” (ABNT NBR16400, 2015, p. 2). Possuem três classificações básicas quanto ao tempo de resposta: Resposta rápida, especial ou padrão, porém no Brasil as mais adotadas são os do tipo de resposta rápida (Ø 3mm) e padrão (Ø 5mm).

Figura 1 – Elementos termossensíveis do tipo ampola de vidro (bulbo) de resposta padrão (acima) e resposta rápida (abaixo)
bolbo skop sprinklers
Fonte: Arquivo Skop

Cores & Temperaturas

Os bulbos possuem faixas específicas de temperatura de ativação. Estas faixas estão bem definidas em norma e possuem uma padronização universal. Segundo a Tabela 2 da atual Norma Técnica brasileira de sprinklers (ABNT NBR16400:2015), são ao todo sete cores que podem ser facilmente identificadas e são classificadas da seguinte maneira:

temperatura

Dentro das faixas definidas em norma, são adotados alguns valores padrão (temperatura nominal) para facilitar a definição de projeto, compra e venda dos sprinklers.

As temperaturas nominais mais utilizadas no Brasil são: 68°C, 79°C, 93°C e 141°C.

Figura 2 – Valores de temperaturas nominais mais convencionais no Brasil

bolbo cores

Fonte: Site Skop

Como os sprinklers são ativados?

Como responsável pela ativação do sprinkler, o bulbo precisa acionar dentro de uma faixa específica de temperatura e tempo, determinadas na Norma Técnica.

O bulbo se rompe quando atinge a temperatura indicada por sua cor. O tempo que demora antes de um bulbo quebrar depende da potência do incêndio. Em geral, um bulbo é ativado entre 15 e 30 segundos.

Considerando que um incêndio ganha potência máxima entre 1min e 4min, a ativação do sprinkler garante o alargamento desse tempo para mais de 30min, tempo confortável para que os bombeiros cheguem para concluir a supressão total do incêndio.

Além de compor o mecanismo de desarme do sprinkler, o bulbo também compõe o conjunto de fechamento e vedação, isto significa dizer, que sofre esforços físicos enormes, porém controlados, de forma que não comprometam a estanqueidade e não gerem trincas ou fissuras na superfície do bulbo e não comprometam o funcionamento do sistema como um todo.

Este é um dos mais importantes componentes do sprinkler, tanto que é testado em quatorze dos dezessete ensaios propostos pela Norma Técnica e embarca uma concentração elevada de tecnologia, pois passa por mais de 800 medições de engenharia no longo do seu processo de fabricação. (JOB. Disponível em: https://www.job-group.de/en/products/job-thermo-bulbs-product-range/job-thermo-bulbs/. Acesso em: 26 dez. 2016).

Para qual ambiente é indicado a instalação de cada cor de sprinkler?

Para se definir a temperatura nominal ideal para o sprinkler, deverão ser levadas em consideração, pelo projetista, algumas características técnicas do ambiente, entre elas a temperatura ambiente máxima no local de instalação do sprinkler. Por exemplo: Um sprinkler com temperatura nominal de 68°C (bulbo vermelho) não é indicado para instalação em claraboias de shoppings (teto de vidro) onde a temperatura em dias de sol poderá ser superior a 38°C (vide coluna 2 da tabela acima).

Compartilhe: 0

Deixe um comentário

BNDES
Reliable
ABNT
ABSpk
FM
UL
Assine nossa Newsletter: